NA FESTA DA DEMOCRACIA, O POVO PERDE E GRANDE VENCEDOR JÁ É BOLSONARO!

Nossa Constituição completou este ano 30 anos desde a sua promulgação, Ulysses Guimarães ficou eternizado na história por mostrar ao povo as mais belas que já foram escritas e nunca vi momento mais oportuno para lembrar o que está ali escrito e eternizado em seu preâmbulo:

“Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.”

Quando a constituição foi concebida os deputados constituintes pensaram e estudaram em cada princípio que nela consta, baseamos a nossa constituição em um grande filósofo francês de nome Montesquieu, mas parece que trinta anos após termos feito algo tão belo e buscando em seu fulcro sermos uma sociedade melhor e mais fraternal, percebemos que erramos, não podemos ter uma sociedade fraternal enquanto tivermos algumas ameaças que volta e meia querem ceifar os princípios mais básicos de nossa Constituição Federal.

Perceba que no preâmbulo que ali consta e que qualquer advogado ou estudante de direito já conhece ou leu sabe que ele não tem caráter normativo, mas é de uma maneira clara uma carta de intenção, uma diretriz, um farol que não se deve apagar de maneira alguma, diz “… uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos…” de uma maneira simples isto quer dizer que adversidade política deve existir para o bem da nação, que ela seja plural em ideias e que todos nós devemos aceitar estas diferenças como sendo do “Jogo da Democracia”.

Sendo assim manifesto minha indignação com as afrontas que a nossa democracia tem vivido, não vou aqui explanar e deglutir a minha opinião sobre o impeachment da ex-Presidente do Brasil a Senhora Dilma Ivana Roussef, ou sobre a prisão do ex-Presidente Lula, o meu repúdio vai para você que lê este artigo e que talvez ainda não tenha percebido o quanto esteja enganado ao apoiar certas ideias e tomar algumas atitudes, o meu interlocutor é alguém mais cotidiano, penso nele como aquele seu amigo que diz que vai votar no PT ou aquele que fala mal de toda a esquerda, dos comunistas, aqueles PTralhas, para você que tem este tipo de pensamento é que ter neste texto como interlocutor, os fatos abaixo narrados são verdadeiros e não há omissão de fatos, apenas uma narrativa sincera para que você que é contra todos os comunistas e membros do PT analisem com calma:

Narrativa 1: “Aqui é Bolsonaro”

Um pai família entra em uma loja de conveniência para comprar cigarros na Zona Oeste de São Paulo, um eleitor do Bolsonaro exercendo seu direito democrático ao entrar na mesma loja de conveniência grita:

“- Aqui é Bolsonaro! ”

Todos os que estavam na loja parecem que ficaram incomodados, mas em especial o aquele pai de família com cara de PT ficou ainda mais incomodado, nosso herói decide então investir em uma conversa com aquele pai de família dizendo:

“- Ainda tem idiota que vai votar no Haddad”

O Pai de família pega o seu cigarro e vai até o seu carro e percebe que há uma moto parada atrás do carro dele, logo percebeu que o eleitor do Bolsonaro era o proprietário da moto, então o pai querendo voltar ao seu lar e deitar na cama com a sua esposa, pensando que tem muito trabalho para fazer em seu escritório e que seus clientes o estão cobrando por documentos essenciais percebe que o eleitor do Bolsonaro vem rapidamente em sua direção parecendo querer ter uma conversa mais calorosa com ele, mas pensando em sua família o pai de família decide ir para sua casa.

Percebe que ao olhar pelo espelho retrovisor vê uma moto. Dá seta, estica o braço e empunhando o controle do portão eletrônico percebe que o rapaz da moto estava emparelhado com ele era o eleitor do Bolsonaro e que logo ao chegar perto do pai família o nosso herói defensor do Bolsonaro puxou uma arma contra este pai de família e começou a gritar para ele:

“-Vai atira! Atira”

O pai de família vendo a arma apontada para ele diz com uma preocupada, mas tranquila:

“ – Calma! Calma é apenas o controle do meu portão. ”

Responde prontamente o motoqueiro eleitor do Bolsonaro:

“- Quando o Bolsonaro ganhar vamos matar cada um de vocês, um por um”

O mesmo eleitor se evadiu do local.

Este grande amigo que me contou isso não me parecia arrependido pelo seu ato, mas sim preocupado e está cogitando até mesmo a possibilidade de parar de fumar, pois percebe-se que o maior crime do Bolsonaro ao incentivar a violência é de transformar a nossa democracia e nosso pluralismo político em algo que possa ser corrigido na bala, no grito, na base da ameaça as pessoas, neste caso meu amigo não falou de política e nem se quer citou qualquer ideal político como sempre o faz, com a liberdade de dois velhos amigos de colégio, de bar e vizinhos de bairro, ficamos assustados que sociedade está doente e parece esquecer o conceito da nossa Constituição Federal e todos os princípios de seu preâmbulo.

Mesmo assim não é apenas o preâmbulo que é carta de intenção da sociedade que se perdeu ou o desrespeito à lei como por exemplo o art. 5° da Constituição Federal em seus incisos VII e IX que nos asseguram os seguintes direitos:

 VIII – ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

 IX – é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

Percebe-se neste exemplo claro que os direitos de pai de família não houve nem mesmo manifestação politica, filosófica ou qualquer coisa equivalente, mas para você caro interlocutor e eleitor do Bolsonaro, perceba que ao apoiar este candidato você compactua que pessoas iguais a dessa história se sintam no direito de coagir e ameaçar outros pelo simples fato de acreditarem que não são a favor de algo ou alguém, você concordaria em matar alguém? E se fosse aquele seu amigo que vai votar em alguém da esquerda ou que não seja o seu candidato, você o mataria? Tem certeza que o candidato é aquele homem honesto e defensor da família? E se tivessem matado este pai de família, o que você pensaria daqueles que estão ao seu lado e defendendo o mesmo candidato do que você? Você se sentira acolhido entre os eleitores do Bolsonaro?

Veja mudar o seu voto não é o meu objetivo, mas quero lhe mostrar que seus amigos ou parentes podem correr risco de vida, talvez não pelo fato de caso o Bolsonaro vença ele venha a fazer uma caça às bruxas, mas sim pelo fato de que ele está criando um eleitorado que está pronto para cometer homicídios e atos de violência em seu nome, tenha a certeza que cada palavra aqui escrita constitui a pura verdade do fato, mas caso ainda tenha dúvidas sobre a história que leu, vou narrar outra.

Narrativa 2: “Garçom, tem papel higiênico? ”

Lá no bar do Moreira no centro da cidade de São Paulo aconteceu uma fita pesada com um garçom que é eleitor do Bolsonaro, aquele novinho, manja? Na sexta-feira ele já tinha falado umas coisas nada haver para nossa mesa, ignoramos, mas no sábado aconteceu um constrangimento e coação forte por parte desta cara.

No sábado à noite o garçom novinho me encurralou na saída do banheiro e ameaçou me agarrar depois que eu declarei que não votava no Bolsonaro de jeito nenhum, tudo começou em uma conversa que eu indo para o banheiro eu pedi papel higiênico para ele e o mesmo me perguntou:

“ – Depende, tu é PT ou Bolsonaro? ”

Eu sendo mulher parecia que estava sendo vista como um pedaço de carne que ele podia fazer o que quiser comigo, ou coisa pior, ele queria me agredir mesmo da pior forma possível, por louco que pareça eu sai gritando por ajuda, tentei achar o gerente do bar e simplesmente todos os garçons ali presentes se isentaram de qualquer responsabilidade ou ajuda, deviam achar que ele estava certo, realmente não acho que com a rejeição que tem o Bolsonaro consiga ser eleito tão fácil ou talvez eu realmente leve a sério a frase que o Frei Betto disse:

“ Deixemos o pessimismo para tempos melhores. ”

O mal que este candidato faz para a população é um absurdo, ele infla e legitima este tipo de situação e violência contra aqueles que não seus correligionários.

Agora interlocutor eu quero te apresentar mais alguns pontos que são importantes na sua avaliação do seu próprio candidato, peço que pense muito bem nas próximas linhas sobre o que irá ler, reflita, deglute cada palavra e pensa no Brasil que quer para o futuro próximo.

Segundo o art. 22° do Código Penal fica claro que houve coação física da menina no Bar, sendo que ela não havia tido nada ao garçom o que poderia também ser caracterizado como assédio moral, para com as mulheres que já sofrerem e muito com a violência no Brasil e lembrem de Marielle Franco e sobre o artigo publicado pela pagina O Plutocrata fica claro que houve sim coação e mais uma vez assistimos um eleitor do Bolsonaro querendo atentar contra outro ser humano.

Fica evidente que não quero que ninguém aja com violência e que a democracia seja respeitada, você que este pretendendo votar no Bolsonaro lembre-se que, a Constituição Federal tem além de seu Preâmbulo alguns outros pontos que considero importantes, mas que você que tem amigos que pensam diferente de você, que possuem conduta diferente da sua, eles podem ser assinados ou começar a desaparecer misteriosamente em porões ou em banheiros de bar, que talvez a história do fui comprar e nunca mais aconteça mesmo que não por vontade do desaparecido, inclusive este mero interlocutor que aqui se curva a democracia, mas não irá se calar diante a injustiça, todos nós podemos desaparecer, mas ainda haverá aquele vento que traz a liberdade, os princípios de igualdade e dignidade humana, não vão desaparecer com os nossos corpos, podem atentar contra a minha, mas nunca irão conseguir matar um ideia, um princípio, os verdadeiros valores humano, pois eles não são tangíveis e palpáveis, eles residem no vento e vivem ao longo dos anos mesmo que ele agora pareça perdido, eu ainda luto.

Se você chegou até aqui e não conseguiu entender nada e acredita que o Bolsonaro deve ser Presidente ou que seus eleitores agiram de maneira correta saibam que com certeza ele já venceu, criou seu exército de pequenos sociopatas funcionais e antes que se perceba teremos a morte da democracia.

Deixo em testamento e para eternidade estes dizeres abaixo:

PREÂMBULO

Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.

TÍTULO I
DOS PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS
Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos:
I – a soberania;
II – a cidadania;
III – a dignidade da pessoa humana;
IV – os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa;
V – o pluralismo político.
Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição.
Art. 2º São Poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo, o Executivo e o Judiciário.
Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil:
I – construir uma sociedade livre, justa e solidária;
II – garantir o desenvolvimento nacional;
III – erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais;
IV – promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.
Art. 4º A República Federativa do Brasil rege-se nas suas relações internacionais pelos seguintes princípios:
I – independência nacional;
II – prevalência dos direitos humanos;
III – autodeterminação dos povos;
IV – não-intervenção;
V – igualdade entre os Estados;
VI – defesa da paz;
VII – solução pacífica dos conflitos;
VIII – repúdio ao terrorismo e ao racismo;
IX – cooperação entre os povos para o progresso da humanidade;
X – concessão de asilo político.
Parágrafo único. A República Federativa do Brasil buscará a integração econômica, política, social e cultural dos povos da América Latina, visando à formação de uma comunidade latino-americana de nações.
André Rossi Zaffani – O Plutocrata

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s